28/07/2017 - CFC destaca melhorias no trabalho das auditorias independentes

cvm640x382.jpg

Parceria entre CVM e conselho aumentam a qualidade do serviço prestado

Relatório anual Comissão de Valores Imobiliários (CVM), divulgado recentemente, aponta que “não foram encontradas irregularidades tanto em relação à estrutura dos relatórios de auditorias quanto nas ações específicas visando avaliar as notas explicativas”. O documento referente ao ano de 2016 analisa, entre outros assuntos, a qualidade do  trabalho dos auditores independentes.

“Com relação à supervisão de auditores independentes, o foco da autarquia foi a atuação dos que possuem como clientes companhias abertas, estrangeiras ou incentivadas, de forma a verificar a qualidade dos auditores e de seus trabalhos a partir dos padrões previstos na Instrução CVM 308”, diz o relatório.

Para o vice-presidente técnico do CFC, Zulmir Breda, há um avanço na qualidade técnica dos trabalhos realizados no último ano, tendo em vista a diminuição das críticas apontadas no relatório, além de ações integradas entre o Conselho Federal de Contabilidade e a CVM. Este foi, também, o primeiro ano da vigência do novo relatório de auditoria, fruto de mudanças nas normas editadas pelo CFC, em consonância com as alterações promovidas no padrão internacional.

“Há um grande esforço em aprimorar o trabalho dos auditores independentes, que é feito em parceria com o Comitê de Revisão Externa de Qualidade (CRE). Esse grupo avalia, aponta e recomenda melhorias, baseado na revisão efetuada pelos auditores revisores (Peer Review). Para aperfeiçoar o trabalho, implementamos uma dupla revisão das análises, que são feitas por assessores do CFC, após o processo de revisão pelos pares”, destaca.

Segundo ele, essa nova sistemática promove um aperfeiçoamento do trabalho devido à dupla verificação das informações. O relatório do CRE, que depois é encaminhado à CVM, aponta os pareceres com ressalva e os adversos, que representam os casos de descumprimento das normas de auditoria. No ano passado foram registrados sete pareceres adversos e 29 com ressalva. O relatório do CRE de 2016 avaliou o trabalho desempenhado por 123 empresas de auditoria independente (pessoas jurídicas) e de 25 profissionais (pessoas físicas). Somados, dos 148 casos analisados, 19 tiveram registros cancelados na CVM.

"Estamos também aperfeiçoando a própria legislação", complementa o vice-presidente, a partir da revisão da  Norma Brasileira de Contabilidade para Profissionais Auditores (NBC PA 11), que dispõe sobre  procedimentos, estrutura e administração do Programa de Revisão Externa de Qualidade. 

“Estamos em um constante processo de melhorias”, avalia Breda. Neste ano, o Comitê realizou cursos de capacitação para revisores em vários estados. O CRE é composto por quatro representantes indicados pelo CFC e quatro indicados pelo Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon).

O relatório da CVM destaca, também, as mudanças feitas pelo CFC na regulamentação dos profissionais de contabilidade que irão atuar como auditores independentes. O documento avalia como positiva a introdução de prova específica para atuação no mercado regulado pela CVM, inserida na NBC PA 13, que trata do Exame de Qualificação Técnica, obrigatório para concessão do registro como auditor independente. Em agosto passado foi realizado pelo CFC o primeiro Exame de Qualificação Técnica com prova específica para a CVM, no qual 21% dos inscritos foram aprovados.

Acesse o Relatório Anual 2016 da CVM.

Fonte: CFC

Mais notícias